Deixa o seu like na Página


Músico Denis Graça renunciou a nomeação para o CVMA


Músico Denis Graça renunciou a nomeação para o CVMA

Wilton António

Denis Graça renunciou publicamente “a toda e qualquer nomeação” para os Cabo Verde Music Awards 2019. O cantor, que estava nomeado com a música “Tudo pa bo”, na categoria Melhor Kizomba, afirmou que não canta o género musical, originário de Angola, pelo qual foi indicado, mas sim Cabo Zouk. Mais ainda, questionou se algumas canções foram nomeadas por mérito ou por conveniência.
Esta renúncia de Denis Graça, que estava nomeado juntamente com os artistas Djodje ft Jimmy P ("A Fila Anda") e Josslyn ("Pertan"), foi manifestada através de uma carta publicada na página oficial do artista, no Facebook.
“Nós não fazemos Kizomba…! O que é Kizomba? De onde emerge o termo Kizomba? Kizomba reporta a música, dança ou a algum outro vínculo de natureza cultural?”, questionou Denis Graça, afirmando-se como “senhor Cabo Zouk”, que ostenta “orgulhosamente” as suas origens cabo-verdianas.
Denis Graça levantou ainda dúvidas sobre alguns pontos que considera serem de natureza duvidosa, como a nomeação de alguém “que somente tem uma obra”, em várias categorias, face a “um mar de artistas que tanto trabalharam para honrar o país”.
“Nomear alguém, por contiguidade familiar e outras aproximações! Isto é mérito ou conveniência?”, indagou o artista, colocando no mesmo barco a nomeação de “alguém por laços sentimentais” e a escolha de “elementos sem competência para avaliar questões musicais”.
Denis Graça perguntou também se é mérito ou conveniência “trazer avaliadores de outros países/culturas para apresentar o evento" e deixar de lado “artistas que estão no top das preferências, por meses consecutivos, em Cabo Verde” e gerar climas de tensão/emoções entre o que é música tradicional de Cabo Verde e outras mais recentes, quando todas são cantadas por cabo-verdianos”.
Ainda neste rol de questionamentos, o artista, que já tem mais de 20 anos de carreira, acrescenta o “fingir esquecer nomes de cabo-verdianos espalhados por este mundo fora, com capacidades vocais bem acima da média e de excelência”.
“Humilhar artistas dizendo que uma determinada música, que até venceu em uma categoria (anos anteriores), não era música, porque era um african house, e dizia vezes sem conta “já bo crê mas”!, isto é mérito ou conveniência? (...) Esquecer-se de apontar a música 'Conta ma mi', foi esquecimento ou premeditado?”, prosseguiu Denis Graça, apontando haver desconsideração da “vontade do povo expressa nas suas preferências”.
O cantor declarou que estas são apenas algumas das questões que vão ao encontro da colocada pelo seu público, e que mostram que também está “revoltado”.
 “Entre todas as situações apontadas, o espírito de desafio da CVMA é exacerbado e ostensivamente projectado ao nomearem o músico Denis Graça na categoria “Melhor Kizomba”! Melhor Kizomba? Onde está a idoneidade e a competência do júri da CVMA, como regulador do relacionamento interpessoal e na resposta que deverão dar ao povo de Cabo Verde? Em vez de normalizarem o clima social, eles mesmos lançam achas para a fogueira! Bravo CVMA: que carácter!?”,disse.
“Eu, Denis Graça, renuncio-me publicamente, e de cara levantada, a toda e qualquer nomeação que venha da CVMA, melhor, desta CVMA”, rematou.

Enviar um comentário

0 Comentários